Pressionado, Wladimir Garotinho recua e decide reabrir o comércio em Campos

Pressionado, Wladimir Garotinho recua e decide reabrir o comércio em Campos

Em reunião remota realizada nesta terça-feira (6), o prefeito de Campos, Wladimir Garotinho, e representantes das entidades do setor produtivo (ACIC, CDL, CARJOPA e FIRJAN) acordaram a reabertura, responsável e gradativa, do comércio local, que terá início na próxima segunda-feira (12), diante da abertura de novos leitos COVID-19 (UTI e clínica médica) e da vacinação progressiva e ininterrupta da população.

Mas não foi só a abertura de novos leitos que motivou o prefeito Wladimir Garotinho não. Desde segunda (5), ele estava sendo muito pressionado por comerciantes para reabrir as lojas da cidade. A classe ficou tão revoltada com à medida que chegou a fazer dois protestos consecutivos. Neles, a BR-101 fora interditada por duas vezes. Protestos também aconteceram em frente à prefeitura da cidade. Além disso, com o lockdown total, que vai durar até domingo, cerca de 15 mil trabalhadores do comércio correm o risco de perderem o emprego. Houve também polêmica envolvendo a nota conjunta da prefeitura com o MP, onde, em um trecho, dizia que os protestos não contribuiam para nada, aliás, podiam até retardar a abertura do comércio. Após a nota, alguns comerciantes chegaram ameaçar abrir lojas "no peito", mesmo com risco de serem presos. 

A Prefeitura de Campos informou que o poder público municipal e as entidades que representam o comércio permanecem em diálogo permanente e repudiam tentativas de politização da pandemia, tais como a noticiada apologia ao descumprimento das medidas sanitárias e a promoção de aglomerações, que potencializam o contágio do vírus, sendo incompatíveis com o espírito de unidade da sociedade civil contra a COVID-19 e, por consequência, da preservação de vidas.