Prefeitura de São Francisco e polícias Civil e Militar organizam plano de combate à violência durante o Carnaval

Prefeitura de São Francisco e polícias Civil e Militar organizam plano de combate à violência durante o Carnaval

A partir desta sexta-feira (12), diversos órgãos da Prefeitura de São Francisco de Itabapoana iniciam, com a cooperação das polícias Militar e Civil, a Operação Carnaval. O objetivo da ação é fiscalizar o cumprimento das medidas de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19), além de promover a segurança pública.

Reuniões na sede do executivo nesta quinta-feira (11) definiram os últimos detalhes da operacionalização, que envolve as secretarias municipais de Saúde (SMS), de Turismo, Indústria e Comércio (SecTur) e de Governo (Segov), como também a Empresa Municipal de Trânsito (Emtransfi), Guarda Civil Municipal (GCM) e Departamento de Posturas.

“Além do empenho da prefeitura, contamos com a colaboração da PM, que vai dobrar o efetivo, e da PC, que estará de prontidão, durante todo o período carnavalesco”, afirmou a prefeita Francimara Barbosa Lemos.

As equipes de fiscalização vão atuar em todo o município no combate à infrações de trânsito, som automotivo e mecânico e crimes ambientais, como o tráfego de veículos na faixa de areia. Os órgãos estarão atentos ainda a proibição prevista em decreto de “qualquer festa ou evento comemorativo de verão e Carnaval” e “qualquer aglomeração de pessoas, tanto em ambientes abertos quanto fechados”.

Além disso, a SMS disponibilizará testes rápidos de Covid-19 no portal de chegada da cidade, onde também haverá panfletagem de conscientização com instruções sanitárias. A testagem não será obrigatória e, em caso de resultado positivo, o paciente será encaminhado para o Hospital Municipal Manoel Carola (HMMC).

Caso haja resistência ao cumprimento das medidas, que passaram a vigorar no último dia cinco, o responsável pelo comércio ou infratores poderão ser encaminhados à 147ª Delegacia de Polícia Civil. Há ainda a previsão de multa para o estabelecimento comercial, podendo variar de R$ 602 a R$ 12.040, e suspensão e cassação do alvará de funcionamento.

A população pode realizar denúncias através do 190, da PM, ou do 153, da GCM.

 

pro