Dia Nacional da Saúde: mudanças de hábitos para uma vida saudável

Dia Nacional da Saúde: mudanças de hábitos para uma vida saudável

O Dia Nacional da Saúde é comemorado no Brasil neste sábado (05), data de nascimento do médico e sanitarista Oswaldo Cruz, em 1872. Instituído pela Lei 5.352, de 1967, o dia tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância dos cuidados com a saúde, a partir da busca por uma vida mais saudável, adquirida com o equilíbrio entre os fatores físicos e mentais.

Na opinião da chefe do Departamento de Nutrição da Secretaria Municipal de Saúde, nutricionista Fernanda Amaral Lucas, adotar alguns hábitos, como dormir bem, fazer exercícios físicos, ficar mais tempo com a família, dentre outros, e uma alimentação saudável, são fundamentais para estimular a longevidade, além de evitar danos à saúde.

“O benefício de uma alimentação saudável é mais do que levar ao emagrecimento. Ela tem relação direta com a vitalidade e a longevidade”, disse Fernanda, ressaltando que, para se viver bem, deve-se buscar uma combinação apropriada de vitaminas, proteínas, gorduras, carboidratos, fibras e sais minerais.

Outro fator preocupante apontado pela nutricionista é o crescimento da obesidade no Brasil, resultado da alteração no padrão alimentar humano, que substitui “comida de verdade” por produtos ultraprocessados, que contêm excesso de sódio, açúcar e gorduras saturadas de baixa qualidade.

“Notamos atualmente uma grande resistência quando se fala em alimentação saudável, pois remete imediatamente a comidas sem sabor. Na realidade, a base da alimentação saudável é muito simples, bastando apenas evitar o consumo excessivo de alimentos comprovadamente prejudiciais à saúde, além de uma dieta rica em grãos integrais, frutas, vegetais, nozes, legumes e proteínas”, disse Fernanda.

Adepta de corrida, Mercilla Pereira Rodriguez, 39 anos, contou que até 2011 levava uma vida sedentária. “Como sempre gostei de esportes, achei que estava na hora de começar a me exercitar. Além de academia, passei a correr três quilômetros, depois cinco e dez, até que, em 2015, participei da Maratona do Rio, onde corri 42 quilômetros”, disse ela, que trabalha como auditora em navios.

Segundo Mercilla, a busca pela qualidade de vida acabou influenciando o esposo, que passou a correr com ela e já perdeu 20 quilos. “Corro atualmente três vezes por semana”, acrescentou. Em relação à alimentação, ela disse que não gosta de doces e, além do feijão, arroz e legumes, come pizza de vez em quando. “Busco o equilíbrio, sem sofrimento”.