Prefeitura de Campos e ABL anunciam reforma e reabertura do Solar da Baronesa

A Prefeitura de Campos, juntamente com a Academia Brasileira de Letras (ABL), anunciou  a restauração total do prédio do Solar da Baronesa de Muriaé na tarde desta quarta-feira (9) O prédio, fica às margens da BR 356, no trecho que liga Campos ao município de Itaperuna.

“Neste momento em que pensamos o presente para a construção do futuro de nossa cidade, nada melhor do que restaurarmos o passado e preservarmos nossa identidade”, disse o prefeito Rafael Diniz junto ao presidente da  ABL, Marco Lucchesi, em visita ao Solar da Baronesa de Muriaé nesta quarta-feira (9). O encontro marcou o anúncio de que o prédio será integralmente restaurado sem nenhum gasto financeiro ao Município, a quem caberá decidir qual será o uso do imóvel.

” Tenho que ressaltar o valor desta visita do presidente da Academia Brasileira de Letras, arquitetada através do reitor do IFF, o professor Jefferson Manhães. Nos empenharemos neste projeto, em que trabalharemos juntos pela devolução de um patrimônio tão importante para a história de nosso município. É uma imensa alegria ver que a ABL acredita em nossa cultura e está com pressa para realizar esta restauração”, disse Diniz.

Construído na primeira metade do século XIX, em 1840, o solar abriga um recorte histórico da cidade de Campos, da elite à senzala. A prefeitura, através da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL), junto às entidades representativas, iniciará diálogo para apresentação de propostas para o melhor uso do solar tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

“Venho a Campos com o coração aberto porque queremos desenvolver esta parceria. A Academia não vai se limitar a restaurar o Solar da Baronesa e depois a abandonar. Nosso compromisso será permanecer este diálogo, mesmo após a restauração. Entendo que não podemos decidir a destinação do prédio. A questão é da terra, é local. Então, esperaremos a proposta da cidade”, disse Lucchesi.

Também participaram da visita o reitor do Instituto Federal Fluminense, Jefferson Manhães; o autor do projeto de restauração, Humberto Chagas; a presidente da FCJOL, Cristina Lima; o vice-presidente da Companhia de Desenvolvimento do Município de Campos (Codemca), Marcel Cardoso; o secretário de Educação Cultura e Esporte, Brand Arenari; e o presidente Associação de Imprensa Campista (AIC), Vitor Menezes. O Reitor do IFF pôs a instituição à disposição dos trabalhos para desenvolvimento do projeto de utilização do Solar.

“Em encontro com Lucchesi, essa pessoa humilde e carismática, ele ressaltou que a ABL tem o compromisso de restaurar este local, mas que isto não teria sentido se a cidade não incorporasse este projeto. Quando ouvi isso, meu coração campista bateu forte. Disse que entraria em contato com o prefeito e tinha certeza de que ele estaria conosco neste trabalho, e assim foi”, relatou Jefferson.

O Solar da Baronesa foi tombado, em 1940, pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). O sobrado de arquitetura barroca foi residência de Raquel Francisca de Castro Neto da Cruz, a Baronesa de Muriaé. Em 1993, o solar passou a fazer parte da ABL.

 

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register

Likes