Como evitar a conjuntivite?

A conjuntivite é a inflamação ou irritação da conjuntiva, a membrana transparente que reveste o globo ocular e a parte interna das pálpebras. Essa condição pode acontecer por diversas razões como bactérias, vírus, agentes tóxicos ou até mesmo alergias. Os dois primeiros casos são contagiosos, sendo os vírus os grandes responsáveis por surtos e epidemias de conjuntivite.

Os sintomas da conjuntivite são bastante incômodos como coceira, vermelhidão, ardência e visão turva. Em alguns casos de conjuntivite viral, pode existir secreção esbranquiçada, enquanto a bacteriana produz secreção amarelada e abundante. Para fugir de até 20 dias de desconforto nos olhos é importante tomar alguns cuidados. Veja quais são as formas mais comuns para se pegar conjuntivite e como evitar.

A grande inimiga dos olhos: a mão. As mãos funcionam como meio de transporte para as bactérias e vírus até os olhos. Essa é definitivamente a forma mais fácil de pegar conjuntivite. Isso porque as pessoas não têm o costume de lavar as mãos com frequência, e o simples contato entre duas pessoas pode transmitir o vírus. Essa também é uma forma de transmitir a conjuntivite de um olho para o outro, ou até provocar a retransmissão, quando a doença já estava em processo de cura. Para evitar a principal forma de contaminação é importante lavar as mãos com frequência. Da mesma forma, eliminar o hábito de colocar as mãos nos olhos ou coçá-los.

Pegar conjuntivite por objetos compartilhados. Toalhas de rosto, maquiagem e até mesmo frascos de colírios também podem transmitir a conjuntivite. Durante a fase de contágio, o paciente deve separar seus objetos de uso pessoal e trocá-los diariamente para evitar que outras pessoas possam pegar conjuntivite. O cuidado é ainda mais rigoroso para os produtos cosméticos e maquiagens. Todos os que tiveram contato com os olhos devem ser eliminados. Já os frascos de colírios e pomadas não devem tocar os olhos durante a aplicação para evitar a contaminação dos mesmos.

Pegar conjuntivite é sempre um desconforto e gera impactos na vida social e no ambiente de trabalho. Para evitar essa doença é fundamental ter cuidado com a saúde dos olhos e evitar o contato com pessoas que tenham a conjuntivite, ou tiveram recentemente. A conjuntivite viral não tem cura, entretanto é possível diminuir o desconforto. Já a bacteriana deve ter seu tratamento indicado por um médico oftalmologista, que prescreverá os colírios e antibióticos adequados. Em todos os casos, é fundamental que o diagnóstico seja feito por um médico oftalmologista. Se os sintomas começarem a surgir, procure um médico, inicie o tratamento imediatamente e evite que outras pessoas sejam contaminadas.

*matéria retirado do site hospital dos olhos.

Mariana Estefan27 Posts

Mariana Estefan é dentista, especialista em endodontia, coordenadora regional do projeto Dentista do Bem, em Campos dos Goytacazes, e autora do projeto Saber Sorrir.

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register

Likes