Águas do Paraíba sofre derrota histórica na Câmara de Campos

Águas do Paraíba sofre derrota histórica na Câmara de Campos

Na sessão plenária da Câmara Municipal de Campos da noite desta quarta-feira (24), os vereadores reprovaram, por unanimidade, o relatório da concessionária Águas do Paraíba. Uma reprovação considerada histórica pelos próprios vereadores, por ter sido a primeira em 25 anos de concessão.

Além de histórica, também foi considerada uma grande vitória pelo vereador Rogério Matoso, autor do projeto para a criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Águas do Paraíba, a primeira CPI da história da concessionária, protocolada na Câmara no dia 6 de maio, com a assinatura de 21 vereadores, que representa mais de dois terços da casa.

“Nossa luta tem sido grande desde o início do mandato, estudando os contratos da concessionária, analisando as denúncias e a prestação dos serviços. Na primeira sessão ordinária de 2021, solicitei ao prefeito a suspensão ou adiamento do Decreto 434/2020, que autoriza o reajuste do valor da cota mínima de água e esgoto. Em março aprovamos, por unanimidade, nosso projeto de lei de autoria conjunta que proíbe a cobrança de taxa, tarifa ou qualquer outra modalidade de contraprestação para a realização de desligamento, religação e restabelecimento dos serviços essenciais de saneamento básico de água e esgoto. E hoje temos essa vitória que foi a reprovação por unanimidade, inclusive fazendo recomendações ao prefeito em relação às questões contratuais.”, comenta Matoso.

Rogério destaca que com a votação desta noite foi dado o primeiro passo para que haja mais justiça no saneamento e para que finalmente a CPI seja instaurada na Casa Legislativa: “Nosso objetivo é que a gente tenha mais justiça no nosso saneamento e não fique submetido a esse monopólio que comanda a cidade. A população ainda é vítima de outra injustiça porque paga 100% do tratamento do esgoto, no entanto a concessionária assumiu na Audiência Pública na Câmara, semana passada, que trata apenas 80%. Não podemos permitir que essa empresa comande o saneamento da nossa cidade e faça o que bem quer. Porque saneamento é vida, e está falta respeito e cuidado com a saúde da nossa população”.