Campistas fazem fila para comprar bicicleta durante pandemia

Campistas fazem fila para comprar bicicleta durante pandemia

Andar de bicicleta desperta uma rara sensação de liberdade. Sentir o vento bater no rosto e a vitamina do sol penetrar na pele ainda faz a cabeça esquecer, ainda que por instantes, preocupações da vida, como o surto de Covid-19.

Pedalar também ajuda no resgate da autoestima, promove sensação de bem-estar e, para coroar, evita aglomerações nos transportes públicos, foco alarmante de contaminação de doenças. Por essas fortes razões, não é de se estranhar que as vendas das “magrelas” tenham disparado durante a pandemia em diversos países do mundo, incluindo o Brasil.

Em Campos, essa realidade não é diferente. Basta percorrer as ruas da cidade durante a semana para ver que muitos usam a bike para ir e voltar do trabalho. Já nos fins de semana, as bicicletas nas ruas dão a certeza de que esse é o hobby do momento dos campistas.

Olhares mais atentos observam que se formam filas em algumas lojas. Tudo para comprar bicicleta ou artigos para o veículo. De acordo com Rui Bellei, dono de uma loja de bicicletas e artigos afins em Campos, nos últimos três meses as vendas dispararam. “Jamais imaginei que pudesse vender tantas bicicletas e artigos como faróis, correntes e selins nesse período. Há fins de semana, por exemplo, que se forma fila aqui na loja”, garantiu.

E essa procura pelas bikes talvez tenha uma explicação concreta. A cidade já não tem muitas opções de entretenimento e diversão, sobretudo, para os apaixonados por esporte. Em período de quarentena, a situação fica ainda mais grave. “Eu comprei minha bike há três meses, desde o início da pandemia. Como a gente não tem muito o que fazer, o jeito é pedalar para desestressar”, disse a advogada Marcelle Vidigal.

Em geral, o preço de uma bike simples, para iniciantes, costuma ser de R$ 600,00. Já para aqueles que levam o esporte mais a sério e não dispensa um bom pedal, o preço da magrela fica mais salgado: pode chegar a R$ 2 mil.