Fique por dentro de tudo que acontece no automobilismo campista!

Fique por dentro de tudo que acontece no automobilismo campista!

carroO entrevistado da semana é o campista Pedro Paulo Filho, conhecido popularmente como Pedrinho Piloto.

De acordo com Pedro, a paixão pelo automobilismo começou na infância. Aos 12 anos de idade começou a andar de kart, onde se sagrou campeão quatro vezes. Depois migrou para o motocross, mas sofreu um acidente que o fez desistir da modalidade. Pouco tempo depois voltou para o kart, mas devido não estar 100% fisicamente, acabou desistindo. Em 2017 retornou as pistas, foi quando houve o primeiro contato com carro de corrida, iniciando as competições com um WV Gol, na categoria de velocidade na terra, passando a competir fora do estado do Rio de Janeiro. Em 2019, começou a competir no asfalto, utilizando o mesmo veículo. Em 2020, participou do primeiro campeonato, Taça Rio de Marcas e Pilotos, vindo a conquistar a terceira colocação.

Esse ano, Pedrinho trocou o WV Gol por um Fiat Mobi, veículo considerado classe 1, podendo dessa forma, participar do Campeonato Brasileiro. A primeira corrida aconteceu no autódromo de Mussurepe, situado em nossa Cidade. Disputou o campeonato carioca, e logo em seguida realizou o sonho de competir em Interlagos, pelo Campeonato Brasileiro. Perguntado a respeito da sensação de estar competindo profissionalmente, o campeão campista disse: “Pra mim foi um sonho poder correr em Interlagos, cheguei a chorar de emoção durante a primeira volta”. “Representei minha cidade e meu estado em uma competição de alto nível”.

Vale mencionar que a pista é homologada pela Federação, inclusive recebeu elogios do Ilustríssimo ex-piloto, Wilson Fittipaldi, que durante uma visita reconheceu o grande potencial do autódromo, mencionando que: “o público não quer corrida que o carro some, então o formato da corrida e pista está dando certo, a cada minuto e 30 segundos, os carros passam”.

Atualmente, Pedro Paulo está na espera de patrocinadores para poder voltar a disputar o Campeonato Brasileiro, pois modéstia à parte, sabe do seu potencial. Pedro afirma que: “Esse ano o objetivo principal é o campeonato carioca, além de participar de algumas etapas no campeonato brasileiro”. O automobilismo é tão dinâmico, que nas regiões próximas temos pilotos do sexo feminino, a exemplo, Macaé. 

Encerro a matéria parabenizando todos os envolvidos na construção e organização do primeiro autódromo da nossa região. A pista está realizando o sonho de muitos pilotos! Os pilotos da região, mesmo em categorias diversas, sejam com moto, carro ou caminhão, sempre reivindicaram por um local apropriado para poderem praticar. A iniciativa está tirando muitos jovens da rua, é um excelente exemplo para toda sociedade, oportunidade que vem revelando muitos talentos em nossa região. Infelizmente, a iniciativa é 100% privada.

Meu amigo Louro Jhow, piloto de wheeling, campeão brasileiro pela modalidade, sempre defendeu a seguinte ideia: “Campos tem grandes pilotos, o que falta é incentivo das empresas, de grandes marcas, para que os pilotos não percam suas vidas nas vias públicas, o autódromo, além de está profissionalizando, está formando pessoas de caráter!”.

 

carro2

*Mateus Chagas é formado em direito, gerente de contratos da W Seg e entusiasta do esporte campista