Fé e emoção nas homenagens pelo Dia de Finados em Campos

Nesta sexta-feira (2), data em que foi celebrado o Dia de Finados, a movimentação no Cemitério do Caju, em Campos, começou cedo. A intensa visitação nos túmulos contou com diversos cultos religiosos e homenagens aos entes queridos com coroas de flores, fotografias, velas e orações que demonstravam o carinho e a saudade.  

Durante a manhã, o padre Márcio André celebrou a tradicional Missa de Finados, que ocorreu em um palco montado em área do cemitério, que é o maior de Campos e região. Logo após, a celebração foi feita pelo bispo da Diocese de Campos, Dom Roberto Francisco. Os membros do grupo Consolador da Igreja Universal do Reino de Deus realizam um culto com o pastor Marcelo Paixão, além de oferecerem aferição de pressão arterial e atenderem pedidos de oração.  

A dona de casa, Celina Ferreira, de 65 anos, que há anos visita o túmulo de seus familiares — entre eles, pai, mãe e irmãos —, diz que a dor ainda é intensa, mas Deus dá o conforto em seu coração. 

“Estar aqui me ajuda a confortar mais ainda a minha saudade que é inevitável. Tenho certeza que estão nos braços do Senhor. E, enquanto eu estiver vida, estarei sempre aqui para homenagear quem eu tanto amo” disse Celina.  

Segundo o presidente da Companhia de Desenvolvimento de Campos (Codemca), Vinícius Viana, Campos possui 24 cemitérios municipais e o que movimentação mais intensa é o Cemitério do Caju. 

“Fizemos um treinamento de 30 funcionários de apoio, os quais estiveram aptos para orientar na identificação das 35 mil sepulturas existentes neste cemitério, entre outras informações. Colocamos à disposição o nosso quadro jurídico para atender nas dúvidas de documentações, além dos brigadistas de incêndio. São ações nunca feitas antes, mas necessárias para ajudar a população”, destacou Viana.  

A venda de flores foi intensa e com estrutura organizada pela Prefeitura. “A flor que mais vendi foi a Monsenhor, pois tem vários tons de cores. Eu e minha filha participamos há oito anos e essa venda me ajuda no sustento da minha casa”, contou vendedora de flores Sidneia Jesuel, 49 anos. 

A ação contou com o apoio da secretaria Municipal de Saúde, que disponibilizou equipe de saúde e ambulância, superintendência de Posturas, que coordenou o cadastro de vendedores ambulantes nas imediações dos cemitérios, e a Guarda Civil Municipal, que garantiu apoio nas ruas. 

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register

Likes