Criança de Campos com suspeita de hepatite de causa desconhecida não resiste e morre no Rio

Criança de Campos com suspeita de hepatite de causa desconhecida não resiste e morre no Rio

O pequeno Enzo Gonçalves de Oliveira, de 11 anos, que havia sido transferido de Campos para o Rio de Janeiro por suspeita de hepatite aguda de causa desconhecida, não resistiu e morreu na capital Fluminense neste domingo (6).

Enzo foi levado para o HFM, em Campos na última quarta-feira (1) com sintomas da doença. O corpo do menino deve chegar a cidade nesta segunda-feira (6) para ser se sepultado.

O estado de saúde da criança era considerado grave desde a sua internação na semana passada no Hospital Ferreira Machado. Ele passou por uma série de exames e complicações. A Secretaria de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde (Subpav) informou que Enzo apresentou durante duas semanas sintomas como “náusea, vômito, queda do estado geral, evoluindo para uma alternância de sonolência com agitação e icterícia. Ele apresentou piora no período de 72 horas.

“Os exames demonstraram uma importante inflamação hepática, confirmando a hepatite. Ele apresenta critérios para caso provável de hepatite aguda de etiologia desconhecida”, explica o subsecretário de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde e infectologista, Rodrigo Carneiro.

Exames feitos no menino afastaram a possibilidade de hepatite tipos A, B e C, hepatite medicamentosa, dengue e Covid-19. Na noite domingo, o Colégio Eucarístico, onde Enzo Gonçalves estudava, publicou nas redes sociais uma nota de pesar sobre o falecimento do aluno. Foi decretado luto de três dias na instituição. Diversas pessoas escreveram mensagens de solidariedade à família e aos amigos do menino.