Grande público prestigia desfile pelos 197 anos da Independência do Brasil

Grande público prestigia desfile pelos 197 anos da Independência do Brasil

O desfile de 7 de setembro reuniu grande público no Cepop neste sábado. O evento, que teve o tema “Educação que transforma”, reuniu, além de escolas municipais, instituições militares, organizações sociais, bandas de fanfarra, secretarias, entre outros. Para pegar os melhores lugares e assistir ao desfile, o público começou a chegar já por volta das 7h30. 

Luiz Anderson Cardoso, de 38 anos, separou parte do dia de folga para assistir ao evento. O marinheiro e a filha Letícia Monter, de 9 anos, acompanharam a esposa Lidiane Monter, que desfilou pela Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Smece).

'Minha escala sempre cai no dia 7 de setembro, mas este ano consegui uma folga e vim com a Letícia ver a mãe. Legal o pessoal comparecendo ao desfile bem organizado assim, isso mostra o patriotismo. Acho que temos que ser mais patriotas, além da data de hoje", disse Luiz. 

O maranhense, que atualmente mora em Campos, José Antônio Rodrigues, de 45 anos, trouxe o filho Brunno Rodrigues, de 8 anos, pela primeira vez para acompanhar um desfile de 7 de setembro.

"Sou Guarda Municipal em outro município, em Macaé, e estava há muitos anos sem assistir. Acabou que consegui uma folga e trouxe o Brunno comigo para conhecer. O mais importante é a Independência do Brasil, mas o público está de parabéns por vir e prestigiar os colégios, as instituições, como os bombeiros, que fazem um trabalho espetacular", contou. 

Desfilando pela terceira vez, a estudante do Colégio Nilo Peçanha, Bianca Pereira, de 21 anos, contou a experiência de participar novamente do desfile. “Já desfilei por outras escolas, mas neste ano vim puxando a banda. A organização está maravilhosa. Não temos o que reclamar”, afirmou. 

O casal Marciano Vicente e Lorena Costa, conta que comparece todo ano ao desfile. “Venho sempre porque acho muito bonito. É uma data que mobiliza muita gente. Ver o povo feliz assim é legal”, disse Lorena.