Hospital Álvaro Alvim passará a realizar a captação e transplante de órgãos

Hospital Álvaro Alvim passará a realizar a captação e transplante de órgãos

O Hospital Escola Álvaro Alvim (HEAA) foi habilitado pelo Ministério da Saúde para retirada de órgãos e transplantes de rim, a habilitação possibilitará que Campos tenha novamente uma Unidade Transplantadora. De acordo com a prefeitura, a unidade terá atribuição de realizar o acompanhamento ambulatorial pré e pós-procedimento, além da realização do transplante em doador vivo e falecido. O projeto será lançado oficialmente nesta terça-feira (9), no auditório do Centro Administrativo José Alves de Azevedo, e beneficiará todos os pacientes que realizam hemodiálise nas clínicas da cidade, proporcionando o incentivo ao transplante, além da facilitação do acompanhamento antes disponibilizado apenas nos hospitais do Rio de Janeiro.

O coordenador do Norte Fluminense Transplante (NF-Transplantes) e responsável técnico da Unidade Transplantadora, Luiz Eduardo Castro, discutiu sobre a implementação de transplantes de rim no Álvaro Alvim. O médico confirma que a autorização foi concedida e explica que o hospital funcionará como um dos Centros de Transplantes do Estado.

“A gente planeja receber pacientes para cadastro, exames e inclusão na fila de transplantes. Por enquanto, o hospital realizará apenas transplantes renais, mas há planos para futuros transplantes de córneas, fígado e coração. O lançamento oficial será na terça, mas o ambulatório já está em funcionamento. Esse é mais um avanço para o município de Campos”, apontou.

No ano passado, o município de Campos liderou o ranking de captações e doações de órgãos de toda a região Norte e Noroeste Fluminense. O NF-Transplantes, sediado no Hospital Ferreira Machado (HFM), é pioneiro nas ações e procedimentos pró-transplantes no interior do estado do Rio de Janeiro, junto ao Programa Rio Transplantes. Neste ano, foram realizadas seis captações no HFM, totalizando 15 órgãos, sendo fígados, rins, córneas e coração.

O Hospital Geral de Guarus (HGG) realizou a sua primeira cirurgia de captação de órgãos em março deste ano, depois de 17 anos. Desde então, a unidade já soma duas intervenções, com nove órgãos captados (um fígado, quatro rins e quatro córneas).