Moradores de rua criam “sala de estar” no Centro de Campos

Cansados do tradicional papelão nas calçadas de algumas das principais ruas da cidade, moradores de rua do Centro de Campos decidiram inovar: eles se modernizaram e criaram uma verdadeira “sala de estar” na ciclovia da Avenida José Alves de Azevedo, popularmente conhecida como Beira Valão, no coração da cidade.

Na manhã desta segunda-feira (14), comerciantes e transeuntes se surpreenderam com alguns destes sem tetos sentados em um sofá, provavelmente colocado durante o fim de semana em um dos locais do município que eles mais costumam ficar. A cena chamou atenção de quem passava e despertou indignação em boa parte dos comerciantes que, a partir de agora, serão obrigados a conviver com mais desordem no Centro da cidade.

Segundo uma comerciante que, com medo de sofrer algum tipo de violência não terá o nome divulgado, o sofá colocado por moradores de rua no Centro de Campos só retrata a situação política e econômica que o maior município do interior do Estado também enfrenta. “O sofá vai dar mais conforto a eles e menos segurança para nós. É lamentável que situações surrais como essa estejam acontecendo numa cidade em que o artista de rua não pode trabalhar no sinal, mas o morador de rua pode colocar um sofá no Centro e fazer do espaço uma sala de estar”, diz.

Outro vendedor que também não quer ser identificado diz que não sabe como vai fazer para fechar, todos os dias à noite, o comércio onde trabalha. “Sinceramente, tenho que ver com meu patrão o que vou fazer. Pode até ser que não, mas o sofá colocado ali vai atrair ainda mais moradores de rua e, consequentemente, drogas e violência. Ainda não sei o que vou fazer para fechar o estabelecimento comercial com um pouco mais de sensação de segurança”, avalia.

Como a própria história mostra, Campos dos Goytacazes já foi muito bem tratada em versos de poetas como Osório Peixoto e em prosas de nomes como José Cândido de Carvalho. Foram pessoas da terra e árduos defensores das belezas da terra goitacá. Elogiavam o clima de Campos, o calor das pessoas, as maravilhas da natureza e o típico modo de viver de uma cidade bucólica, típica de interior. Mas nem eles imaginariam que certos munícipes fossem levar tão a sério esse “aconchego” da cidade.

A reportagem do jornal Notícia Urbana entrou em contato com a superintendência de comunicação da Prefeitura de Campos para saber se o serviço de Posturas pretende tomar alguma providência. Até o momento, porém, o setor não havia respondido nosso questionamento.

0 Comments

Leave a Comment

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register

Likes