Empresa volta fabricar perfume, para que mãe possa sentir o cheiro do seu filho que faleceu da Covid-19

Empresa volta fabricar perfume, para que mãe possa sentir o cheiro do seu filho que faleceu da Covid-19

No início de março, o filho de dona Wanda, Alexandre, faleceu em decorrência da Covid-19. Após a sua morte, a pintora de 76 anos foi vista pela irmã de sua nora chorando abraçada a um vidro de perfume quase vazio. Ela entrou no quarto, e assim que a viu, disse: "Esse era o favorito do meu filho. Eu só usava quando ele vinha me visitar, ele dizia que o perfume 'tinha cheio de mãe.'"

Karyne Leão, comovida pelas palavras da sogra, resolveu ajudá-la se comprometendo a comprar alguns vidros do perfume para ela; no entanto, descobriu que O Boticário não fabricava mais o perfume Annete, a fragrância preferida de Alexandre.

Ao saber disso, dona Wanda disse que precisaria guardar o pouquinho que ainda havia no frasco, "pra sentir o cheiro que meu filho amava". Karyne então foi até o Instagram da marca e deixou um apelo: "Volte a fabricar esse perfume, nem que seja uma edição limitada, preciso comprar o perfume pra essa mãe sentir o seu filho amado um pouco mais perto. Gostaria de mandar uma foto da dona Wanda com o meu cunhado, mas por aqui não dá."

A mensagem foi respondida pelo próprio fundador da marca, Miguel Krigsner, numa carta escrita à mão, contando ainda um segredo muito especial: "Querida Dona Wanda, tomamos conhecimento do significado que esse perfume Annete tem nas suas memórias. Resolvemos, com o apoio da nossa equipe de fábrica, fazer algumas unidades desta fragrância, especialmente pra você. Queria te contar que Annete é a minha primeira filha e que o perfume foi criado por ocasião do seu nascimento".