Porto do Açu inaugura segunda maior termelétrica do Brasil

Porto do Açu inaugura segunda maior termelétrica do Brasil

A usina termelétrica GNA I, localizada no Porto do Açu, em São João da Barra, foi inaugurada oficialmente nesta quinta-feira (30), com as presenças do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, do governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, e outras autoridades. Na cerimônia, o diretor presidente da GNA, Bernardo Perseke, anunciou o início das obras da segunda termelétrica da GNA, que terá a presença do presidente Jair Bolsonaro no lançamento da pedra fundamental. Com capacidade instalada de 1.338,30 megawatts (MW), suficiente para fornecer energia a 6 milhões de residências, a GNA é a segunda maior termelétrica do Brasil e começou a operar comercialmente no último dia 16, contribuindo para a segurança energética do Sistema Interligado Nacional (SIN). 

Recentemente, a GNA concluiu a emissão de debêntures de infraestrutura, destinada à operação de refinanciamento da UTE GNA I, no valor de R$ 1,8 bilhão. A transação foi inédita no mercado de capitais por vários aspectos, com destaque para atuação do BNDES, pela primeira vez, como investidor e estruturador de uma operação desta natureza.

No último dia 20, quatro dias após entrar em operação comercial, a usina precisou ser desligada depois de apresentar problemas técnicos com riscos para o sistema de fornecimento de gás, mas voltou a funcionar normalmente no dia 22 e opera à plena carga. 

Além da UTE GNA I, a GNA irá construir a UTE GNA II, com 1.672 MW de capacidade instalada, suficiente para fornecer energia para 14 milhões de residências. Com 3GW de energia assegurados em contratos de longo prazo e 3,4 GW adicionais de expansão licenciada através dos projetos GNA III e GNA IV, o Complexo de 6,4 GW é o maior da América Latina e inclui um terminal para movimentação de Gás Natural Liquefeito (GNL) onde está atracada a FSRU BW MAGNA, com capacidade para armazenar e regaseificar até 28 milhões de m³/dia.

A localização estratégica do Porto do Açu, próximo aos campos produtores de gás offshore, à malha de gasodutos terrestres e ao circuito de transmissão 500 kV de energia possibilitará a expansão do hub de gás e energia a partir do recebimento, processamento e transporte do gás natural associado e da integração entre o setor de gás com setores elétrico e industrial, desempenhando papel relevante e estratégico no desenvolvimento socioeconômico do País nos próximos anos. O investimento total planejado para o complexo de gás e energia da GNA é de cerca de USD 5 bilhões.