“Não fiquem caladas”, diz primeira-dama de Campos após denuncia na delegacia

“Não fiquem caladas”, diz primeira-dama de Campos após denuncia na delegacia

Conforme o jornal Notícia Urbana mostrou, nesta segunda-feira (27), a primeira-dama de Campos, Tassiana Oliveira, esteve na Deam, onde registrou um Boletim de Ocorrência contra o deputado licenciado, Rodrigo Bacellar. Após a denúncia à polícia, Tassiana emitiu uma nota. Confira.

"A vida das mulheres nunca foi fácil, passamos por muitos percalços ao longo da história para termos reconhecimento e conseguir ocupar espaços, seja na esfera pública ou privada. A luta de uma, é a luta de todas. São milhares que sofrem todos os dias com agressões físicas, emocionais e psicológicas. Dessa vez foi comigo. Fui vítima de um ataque baixo, machista e intolerável por um ocupante de cargo público que deveria lutar pelos direitos de nós mulheres e não incentivar o sexismo.

Se eu me calo, eu estaria motivando a continuidade de atos praticados todos os dias contra nós. A nossa liberdade não tem preço, tem valor.

Participei recentemente da inauguração do Centro Especializado de Atendimento a Mulher (Ceam) em Campos, me lembro dos depoimentos e de uma frase que me marcou: “não fiquem caladas”. Por mim e por todas as mulheres eu não tenho o direito de ficar, mesmo correndo o risco de me expor ainda mais. Além dessa nota registrei denúncia na Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (Deam) e ingressarei com ações de judiciais cabíveis.

Sou mulher, sou filha e sou mãe e peço a Deus que abençoe a família do meu agressor, a sua mãe, a sua esposa e todas aquelas com quem ele convive, para que nunca passem pelo constrangimento de serem agredias e afrontadas moralmente como eu fui.

Construí a minha família com quem amo e admiro, são 16 anos de união, cumplicidade e desafios ao lado de uma única pessoa.

Por fim, peço a primeira dama do estado, Analine Castro, mulher de família e de honra, que não permita o avanço desse comportamento por parte de integrantes do governo. Os direitos das mulheres devem ser defendidos por todos, principalmente por quem Deus permitiu estar onde está.

Por todas nós, Tassiana Oliveira”.

Foto: Rodrigo Silveira/Folha da Manhã