Palestra de José Dirceu em Campos marcada por tumulto e críticas a Sérgio Moro

Palestra de José Dirceu em Campos marcada por tumulto e críticas a Sérgio Moro

A palestra do ex-ministro do governo Lula e condenado pela justiça há 30 anos e 9 meses a prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, José Dirceu terminou em confusão. Houve xingamentos e um princípio de empurra-empurra durante a palestra dele no Sindicato dos Petroleiros, em Campos, na noite desta quarta-feira (5).

De acordo com os organizadores da visita, dois integrantes de grupos políticos de direita entraram no local vestidos com roupa de sindicatos e filmando o evento no momento em que começou a confusão.

Sem parecer está incomodado diante das confusões, Dirceu disse que o aconteceu na noite de ontem em Campos, não tirava o sono dele. “Faz parte da vida. Em Itabuna, colocaram um carro de som enorme para tentar me atrapalhar. Em Campinas queriam me impedir de entrar no prédio. Gostam de escândalo para aparecerem depois. Viajo todo país carro, vamos enfrentar mais vezes essas coisas. Precisamos nos preparar, não temos o que eles têm de inteligência, uma tropa desarmada. Temos que prevenir o que vai acontecer”, afirmou.

José Dirceu deixou a cadeia em novembro de 2019 depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou a decisão anterior que permitia o cumprimento antecipado da pena após sentença de segunda instância.

Aparentando está lúcido em relação ao seu partido político,Dirceu também reconheceu erros do PT. “Temos erros. Temos que mudar e não ficar apenas nesse berço esplêndido do Lula, que tem 40 milhões de votos. Se não tivemos à frente da luta surgem outros protagonistas.

Em outro trecho, o ex-ministro criticou atual ministro da Justiça e ex-juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, e também, segundo ele, a anuência dos militares.

 “Moro é pior do que o Bolsonaro e ele está na reserva. A mídia está na oposição ao Bolsonaro com medo que nós voltemos, para tomar esse papel de principal oposição do governo”.